07 January 2014

Resenha: Extraordinário

      August é um menino, uma criança super especial desde o momento em que nasceu. E ainda na barriga de sua mãe, os médicos notaram que havia algo de errado com aquele feto, e momento depois do parto, confirmaram o que haviam suspeitado, que aquela criança nascera com o rosto todo deformado.
      Já com dez anos, August está prestes a entrar na nova e única escola, já que nunca foi a escola antes, a não ser para levar sua irmã, Via.
     A partir daí, acompanhamos não somente a dificuldade que é em um pré-adolescente enfrenta ao entrar em uma nova escola, mas sim em como um deficiente pré-adolescente enfrenta ao entrar em uma nova escola.
        E August sabe que poderá sofrer com isso.



      Enfim, eu realmente não tinha ideias para fazer essa resenha, pensei em falar e falar da história mas tudo o que consegui foi isso.
      A primeira parte do livro é em visão de August, de como ele vê as pessoas olhando estranho para ele mas finge não notar, e assim o livro vai se dividindo, alternando entre a visão de vários personagens da história.
      Eu realmente amei o livro, não pela história, não pela capa, não pela fonte e tudo mais, e sim pela mensagem que a autora quis nos passar. É até difícil você tentar se imaginar na pele de August, por mais que tente, você nunca vai sentir o que uma pessoa deficiente sente em relação ao que a sociedade acha dela.
      Não é só simplesmente pegar uma criança com Diostose Bucomaxilofacial, jogar em um livro e fazer dele o mais vendido do mundo, mas fazer o que R.J. Palacio fez, nos mostrar o drama quase verdadeiro que se passa na cabeça de uma pessoa assim. 
      Que essa pessoa percebe as coisas, que ela acha as coisas engraçadas, que ela ama, que ela vive e que ela é normal.


      Não somente temos esse drama, como também o de Via - irmã de August - que ama seu irmão mais que tudo, que defende o quanto for necessário e que compreende toda a situação, mas que acima de tudo, é só uma garota normal que tem todos os sentimentos possíveis para uma menina de sua idade, e que sente muita falta de um carinho materno, já que praticamente, seus pais tem toda a atenção voltada para August.

      Agora falando como leitor, achei uma leitura fácil e bastante fluída. Li em praticamente dois dias e meio, e ainda pelo computador. Gostei bastante da ideia da autora de usar o ponto de vistas de vários personagens para relatar toda a história que se passa. Com certeza esse foi um dos fatores que torna a leitura mais prática e mais intensa. 
      Sem dúvidas esse livro se tornou um dos meus xodós, e recomendo para todos. É quase uma lição de vida.

Até mais Ledores!


4 comments:

  1. Tô morrendo de vontade de ler esse livro, quase comprei ele, mas escolhi outro. A cada resenha que leio, fico com mais vontade de ler >3< Sua resenha está ótima, deu pra sentir o sentimento que você teve com o livro *-*
    Kissus
    www.penseicliquei.blogspot.com

    ReplyDelete
  2. Oi Juliano..
    Este livro é bem falado por aqui..
    Tenho até curiosidade de ler, mas nem coloquei na minha listinha..
    Mas pelo que você descreveu, parece um livro de fácil entendimento mesmo.

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ReplyDelete
  3. Hey, acabei de ler esse livro. Vou fazer uma resenha também, depois passa lá para dar uma olhadinha.... Aproveitar para me inspirar na sua porque realmente concordo com tudo que disse. Sua resenha tá ótima, e definitivamente a narração compartilhada foi um grande acerto!!
    bjos
    valmedrado16.blogspot.com.br

    ReplyDelete
  4. Oi, Juliano! Tudo bem? Olha, eu nunca vi uma resenha negativa desse livro e só posso imaginar o quão tocante é essa história. Mesmo ainda não tendo lido o livro, já imagino como é a trama e, por se tratar de crianças/pré-adolescentes, esse livro deveria até ser indicado nas leituras escolares... Tenho certeza que seria uma leitura proveitosa e que causaria algumas discussões. Enfim, estou ansiosa para ler "Extraordinário"!! Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ReplyDelete